Jeff fala sobre vontade de gravar o próximo álbum em 2017

jeff-stinco

Em uma nova entrevista ao Daily Tribune, o guitarrista Jeff Stinco falou sobre o que a banda tem achado da “No Pads, No Helmets… Just Balls: 15th Anniversary Tour”, as brigas em estúdio durante as gravações do primeiro álbum e a vontade de começar a gravar para o próximo disco do Simple Plan ainda esse ano. Leia a tradução completa abaixo:

Há 15 anos atrás a banda de Montreal, Simple Plan se apresentou para o mundo com o álbum de nome provocativo, “No Pads, No Helmets… Just Balls” – um disco de punk-pop energético que conquistou o certificado de platina duplo e lançou hits como “Perfect”, “I’d Do Anything” e “I’m Just A Kid”.

Essa estréia favorável levou o quinteto a um caminho que inclui outros quatro discos de estúdio e uma ética de trabalho duro que mantem o grupo nos palcos de clubes e arenas até a Vans Warped Tour. O último disco do Simple Plan, “Taking One for the Team”, foi lançado no ano passado, mas 2017 tem sido um ano para viver no passado enquanto o grupo comemora o “No Pads” com uma turnê tocando o disco completo todas as noites.

De acordo com o guitarrista, Jeff Stinco, a resposta para a performance do “No Pads” pegou o Simple Plan de surpresa. “Na verdade tem sido espetacular,” disse Stinco por telefone de Nova Jersey. “No começo eu vi essa turnê como qualquer uma; para mim o desafio era re-aprender e revisitar essas músicas antigas. Então, de repente, nós começamos a turnê e todas essas pessoas vinham nos dizer que esse álbum teve um grande impacto em suas vidas, e o quanto isso é verdade. Nós vemos pessoas que eram adolescentes quando o disco saiu e que agora são adultos com filhos. Tenho que dizer que é um momento introspectivo, voltar no tempo tem sido muito louco.”

Para Stinco e seus amigos de banda, o “No Pads” agora é como “um álbum básico.”

“Nós passamos tanto tempo pensando nos detalhes pequenos que eu acho que hoje não fazem mais diferença. Os arranjos são assimétricos durante todo o álbum, meio que vários sons peculiares e partes que são complexas de reproduzir ao vivo mas que não fazem diferença nenhuma nas músicas. E todas as brigas em estúdio para vir com essas ideias não seriam necessárias. Eu acho que hoje eu vejo que são músicas ótimas que eram ótimas quando elas eram só dedilhadas em um violão ou no piano. Elas eram músicas ótimas e tinham um poder duradouro.”

Stinco adiciona que ele não está brincando quando fala sobre as brigas em estúdio, “É engraçado o quanto de stress que colocamos em nós mesmos,” ele diz. “Esse disco levou quase um ano para ficar pronto. O processo inteiro definitivamente foi memorável da pior maneira. Nós vivemos em estúdio em Toronto, dormimos em beliches em um quarto sem janelas e nós brigamos muito uns com os outros e com o produtor, que ficava tipo, ‘Pessoal, vamos acabar logo com isso!’ Foi uma batalha terminar esse disco, mas essa é a forma que aconteceu e provavelmente deve ter algo haver com seu sucesso.”

Ter o “No Pads” alcançando os 15 anos tem sido energizante para o Simple Plan. “Claro, existe um sentimento poderoso,” diz Stinco. “Quando você passa dos 15 anos você sente que provavelmente consegue lidar com mais 15. É louco como o tempo voa e como tudo passa rápido. Mas tem sido 15 anos de diversão. Nós tivemos nossos desafios e tudo mais, mas tem sido bons momentos.”

O Simple Plan está pensando em estender a turnê do “No Pads” durante todo ano de 2017, mas Stinco diz que o grupo já está pensando nos planos para o próximo disco. “Nós estamos falando sobre isso,” confirma. “Nós esperamos entrar em estúdio no final do ano. O problema é que com a turnê é muito intenso e escrever na estrada é algo que não somos muito bons. No final da turnê original do “No Pads”, nós tínhamos um outro ônibus, o ônibus de estúdio; O objetivo era escrever músicas e gravá-las, mas ele acabou se tornando o ônibus das festas. Nada foi gravado e custou muito dinheiro. Nós aprendemos muito com essa experiência.”