Simple Plan fala sobre os 15 anos de carreira para a Radio-Canada

Na noite de ontem foi ao ar uma entrevista com Sebastien Lefebvre, Jeff Stinco e Chuck Comeau que foi gravada no dia 12 de Dezembro de 2017 para a Radio Canada.

Realizada com o jornalista René Homier-Roy, a entrevista, que teve 54 minutos de duração, falou sobre o sucesso do Simple Plan ao redor do mundo durante os últimos 15 anos de carreira.

Ouça a entrevista na integra no site da rádio, clique aqui para acessar as fotos em nossa Galeria e confira abaixo um resumo do bate-papo:

“Sonhar com o sucesso do grupo era um senso comum. Nós determinamos isso de forma rápida. Ficávamos na estrada 300 dias por ano,” disseram Chuck Comeau, Sébastien Lefebvre e Jeff Stinco, três dos cinco membros da banda de Montreal, Simple Plan. Eles ainda conversaram com René Homier-Roy sobre seus desejos pela glória, como dependiam da própria dedicação e esforço, e a paixão de criar músicas juntos.

A banda foi formada no encontro de “cinco pessoas totalmente diferentes que tinham em comum o pop punk,” que, depois de anos ensaiando no porão da casa dos pais de Chuck Comeau, foram conquistar o mundo. O nome do grupo foi inspirado no filme A Simple Plan, que foi indicado por um amigo. “Ele nos sugeriu o nome e nós pensamos que acabaríamos mudando se encontrássemos algo melhor,” disse Jeff Stinco.

Com exceção do Japão, onde a música “I’m Just A Kid” foi um sucesso instantâneo (e inesperado), o Simple Plan precisou lutar para conquistar diferentes mercados. “Em cada país nós conseguimos de uma forma difícil. Foi uma maratona de três anos até que todos os países embarcassem na nossa ideia,” relata Chuck Comeau. Ele ainda se lembra de um show na Alemanha em que eles tocaram para apenas nove pessoas. “Isso definiu a nossa marca, de certa forma acabou nos colocando em nosso lugar.”

Com uma carreira de 15 anos, o Simple Plan já vendeu 12 milhões de discos, isso sem ter os críticos da música ao lado deles. “É uma música melódica feita para os fãs. Talvez seja por isso que é fácil dizerem que são músicas insignificantes. Depois de 15 anos eu vejo o impacto dessa mesma música na vida das pessoas e eu digo para mim mesmo que a prioridade não era receber uma avaliação de 5 estrelas no Le Devoir. Não era isso que nós estávamos buscando. Nós queríamos nos divertir no Bell Center,” conclui Sebastien Lefebvre, se referindo ao show esgotado realizado em Quebec em 2005.