Chuck Comeau fala sobre seu primeiro carro e mais curiosidades

Na edição de segunda-feira do jornal canadense La Presse foi publicada uma matéria com o baterista Chuck Comeau onde ele fala pela primeira vez sobre sua paixão por carros.

Ao longo do artigo, Comeau fala sobre qual carro marcou sua infância, o primeiro carro que comprou, o pior carro que já teve, e qual o seu carro dos sonhos. Confira a tradução completa abaixo:

O Carro que Marcou Minha Infância

“DeLorean DMC-12 do Doc Brown e Marty McFly da trilogia De Volta para o Futuro. Assim como muitas crianças daquele tempo, eu amava esse filme e era apaixonado por esse carro, que não só era muito bonito, mas também podia voltar no tempo e voar. Eu assisti todos os filmes no cinema com meus pais, depois em casa em VHS e todas as vezes que eles foram exibidos na TV. A parte em que Doc dizia, “Para onde vamos nós não precisamos de estradas…” me impressionou de tal forma que eu realmente queria ser como o Marty McFly, dirigindo esse carro e tendo meu próprio skate voador.”

Meu Primeiro Carro

“É um pouco vergonhoso dizer, mas eu não tirei minha carteira de motorista antes dos 30 anos. Eu comecei a ter aulas de direção quando tinha 16, mas desisti quando comecei a fazer shows no Canadá aos 17 anos de idade com a minha primeira banda, Reset. O primeiro grupo que comprei, ou que acabei comprando em nome da banda, foi um carro velho motorizado em péssimas condições que pagamos cerca de $3.000 dólares para aquela época. Era bem perigoso, mas para nós era como um ônibus de turnê luxuoso onde poderíamos dormir, cozinhar e parecermos uma banda profissional. Nós conseguimos fazer uma viagem entre Montreal e Vancover antes de ele morrer de vez durante nossa segunda turnê, em um banco de neve entre Winnipeg e Thuder Bay. Então, quando o Simple Plan começou o pai do Pierre nos emprestou uma ambulância velha renendada, com as sirenes e tanques de oxigênio ainda instalados na traseira, o que nos permitiu fazer os primeiros shows e diversas viagens entre Montreal e Toronto, em que gravamos o nosso primeiro disco, ‘No Pads, No Helmets… Just Balls’!”

Meu Pior Carro

“Eu nunca vou me esquecer de quando a banda alugou um carro durante as sessões de gravação do nosso primeiro disco em Toronto. Nós sabíamos que todo o dinheiro que a gravadora nos emprestou de adiantamento seria devolvido, então tivemos muito cuidado com nossas despesas, para não dizer que fomos bem mão de vaca, e foi assim que acabamos alugando um… Ford Taurus de 1995 na Rent-A-Wreck Rental! Pelo telefone parecia ser um ótimo negócio: somente $50 dólares por mês! Mas rapidamente entendemos o motivo quando começamos a dirigir. Ele era literalmente o pior carro da cidade! O freio não funcionava, o para-choque era remendado com silver tape e a cor era uma mistura de amarelo com um marrom esquisito. Mas o pior de tudo isso, era o cheiro que vinha de dentro do carro. Era como se tivesse um animal morto no porta-luvas. Isso nos causava tanto sofrimento que precisávamos respirar fundo antes de entrar no carro e mantermos nossos narizes tampados durante todo o caminho. Nós ficávamos tão envergonhados quando chegávamos nos lugares que tínhamos certeza de que nossas roupas também estavam fedendo… era horrível!”

Meu Carro dos Sonhos

“Eu sou muito fã do Tesla e me considero muito sortudo por ter dois dos meus carros dos sonhos, o Tesla Model S (sedan) e o Tesla Model X (SUV)! Ele é uma ótima construtora que, acredito eu, irá reverter com rapidez a rejeição da população pela dependência do combustível fóssil e a adoção de formas mais limpas e renováveis de energia, e eu tenho orgulho de fazer essa pequena contribuição sendo um dos proprietários desses veículos. Eu dirijo um Telsa por mais de quatro anos e ainda sinto o mesmo prazer toda vez que estou no volante. Nós acabados de comprar o Model X e as portas traseiras que abrem para cima são tão práticas para o nosso filho de dois anos e meio. E o melhor de tudo, eu nunca preciso abastecer em um posto de gasolina! É uma evolução! É um carro revolucionário com um design maravilhoso e uma performance alucinante e, honestamente, mesmo se eu ganhar na loteria amanhã de manha, eu não acho que iria querer dirigir outro carro.”