Simple Plan divulga capa do single de “Perfectly Perfect”

O Simple Plan divulgou hoje a capa do single “Perfectly Perfect”, que foi confirmado recentemente como single de divulgação do disco “Taking One for the Team”. Com a divulgação, o vocalista Pierre Bouvier também publicou uma mensagem explicando um pouco o significado da música:

perfectly-perfect-single

Perfectly Perfect é sobre estar apaixonado por alguém e ver sua beleza em toda sua parte, mesmo as partes que ela não gosta nela mesma. As pessoas costumam focar muito em seus defeitos. Quando vemos uma foto de nós mesmos costumamos falar sobre as coisas que não gostamos, quando na verdade ninguém está notando, especialmente quando você ama aquela pessoa. Todos os nossos pequenos “defeitos” se tornam coisas que fazem de vocês especial e diferente.

A maioria dos integrantes da banda agora são casados ou em um relacionamento duradouro e essa música definitivamente foi inspirada por isso. Para mim, pessoalmente, ela me remete muito a minha esposa. Eu sei que existem várias coisas nela que ela gostaria de mudar, mas todas elas são as coisas que fazem ela ser o que ela é e eu a amo.

– Pierre

Ouça Perfectly Perfect!
Compre o disco com o single: smarturl.it/TeamSP
Ouça: smarturl.it/PerfectlyPerfect

Simple Plan inicia pré-venda de vinil limitado do “Taking One for the Team”

toftt-white-vinyl

O Simple Plan acaba de anunciar a pré-venda do vinil do disco “Taking One for the Team” em uma edição limitada com disco branco – diferente da versão tradicional de discos de vinil, que costumam ser produzidos na cor preta.

O vinil, que será lançado no dia 30 de Setembro, contará com as 14 faixas do álbum e está disponível na loja oficial da banda pelo preço de $20,99 dólares. Com o frete para o Brasil e o valor convertido, o produto sai por cerca de R$ 150,00.

Para acessar a página do produto clique aqui.

Feliz aniversário, Chuck!

chuck-airport

Hoje o baterista do Simple Plan completa 37 anos! Nossa equipe deseja a ele um -ótimo dia, e que hoje seja um momento de reflexão em que reconheça as conquistas deste último ano, e um momento para aspirar por novos sonhos. Esperamos que ele tenha um dia incrível ao lado de pessoas queridas.

Parabéns pelo aniversário, Chuck, e esperamos reencontrá-lo  de novo no Brasil “em breve”…

Simple Plan realiza entrevista com a CNN Indonesia

Em uma nova entrevista publicada pela CNN Indonesia no YouTube, Chuck Comeau, Jeff Stinco, Sebastien Lefebvre e David Desrosiers falaram um pouco sobre o processo de criação do disco “Taking One for the Team”, a diferença no som de algumas músicas como “I Don’t Wanna Go to Bed” e a relação da banda com os fãs do país. Assista abaixo:

“Perfectly Perfect” é o novo single do TOFTT

O novo single do disco “Taking One for the Team” foi confirmado oficialmente pela Warner Music das Filipinas durante a passagem do Simple Plan com a turnê da banda pelo Sudeste Asiático no início do mês de Setembro, e a música escolhida foi a balada romântica, “Perfectly Perfect”. Confira o lyric video produzido pela gravadora abaixo:

Pierre, Seb e Chuck em entrevistas no Sudeste Asiático

Duas novas entrevistas com Pierre Bouvier, Chuck Comeau e Sebastien Lefebvre foram divulgadas na internet nas últimas semanas.

Em uma entrevista para o Asia Pop 40, o baterista comenta sobre as caras que faz enquanto toca bateria nos shows e que substituiria Pierre Bouvier por Justin Timberlake, caso tivesse que trocar um membro da banda por um popstar. Assista abaixo:

Para a ONE FM, os três participaram de dois quadros, no primeiro, Comeau e Lefebvre aproveitam para aliviar o stress em um boneco inflável de Pierre e, em seguida, colocam em prática algumas poses de yoga. Confira:

Pierre e David respondem perguntas dos fãs e participam do Jinx Challenge

Durante a turnê do Simple Plan no Sudeste Asiático, Pierre Bouvier e David Desrosiers realizaram uma entrevista com a Fly FM, na Malásia, respondendo algumas perguntas envidas pelos fãs. Confira:

» David diz que leva seu travesseiro durante as turnês, enquanto Pierre comenta sobre como é lidar com o fuso horário, tentando descansar e dormir bem entre os shows.

» Para descrever o Simple Plan com uma única palavra, Bouvier diz “maravilhosa”, enquanto Desrosiers cita “super”.

» Pierre e David concordam que os fãs motivam o Simple Plan a continuarem juntos por tanto tempo.

» Sobre os fãs mais marcantes, o vocalista diz que, no geral, no sudeste asiático eles possuem fãs bem apaixonados e que cantam muito bem as músicas da banda.

» O momento mais marcante da carreira deles foi um show na cidade de Quebec.

Em seguida, a dupla participou do Jinx Challenge, onde eles devem falar uma palavra ao mesmo tempo sobre uma categoria em específica. O objetivo era que os dois falassem a mesma coisa. As categorias foram partes do corpo, cores e formas. Assista abaixo:

Jeff e Seb falam sobre músicas em francês e novo DVD

tempo-mag-interview-01

No dia 19 de Agosto o Simple Plan se apresentou em Acton Vale, em Quebec, e momentos antes do show, Sebastien Lefebvre e Jeff Stinco conversaram com o site Tempo-Mag.

Na entrevista eles falaram sobre as versões em francês de suas músicas, como é tocar em cidades menores, os próximos passos do Simple Plan e os rumores envolvendo um disco acústico e um novo DVD. Confira a entrevista completa abaixo:

O “Taking One for the Team” foi lançado no dia 19 de Fevereiro depois de dois anos de espera enquanto vocês estavam se perguntando sobre a identidade da banda e a relevância na indústria da música em 2016. Quais foram as mudanças que vocês trouxeram para alcançar as expectativas do público?
Jeff: Eu não sei se eu diria que foi um momento de dúvidas pois não foi realmente um grande problema. Nós nos questionamos sobre isso em cada disco: O que estamos fazendo para construir uma história? A dúvida agora era: O que podemos trazer dos dois primeiros discos do Simple Plan e o que podemos adicionar para o Simple Plan de 2016. Na verdade, o quanto mais podemos avançar com nossa música para algo novo e nós percebemos que a voz do Pierre é uma ponte para tudo isso e ao mesmo tempo percebemos que os fãs do Simple Plan gostam de ouvir a energia em nossas melodias. Mas você não quer se repetir, é preciso de originalidade para que você encontre um balanço nisso tudo. Você precisa encontrar uma forma de ser feliz como músico mas ao mesmo tempo ser fiel às suas raízes. Então não é bem uma crise de identidade, era mais algo como: por que fazer um novo disco se vamos nos repetir, e ao mesmo tempo, querer manter as raízes.

Vocês estão felizes com o resultado?
Sebastien: Sim, com certeza. Eu acho que essa forma de se chegar e a mentalidade por trás de cada disco é importante. Nós temos que estar totalmente satisfeitos, caso contrário vamos continuar em estúdio. E é isso que acabamos fazemos. Um dia achávamos que tínhamos terminado, mas então nós dissemos para nós mesmos, quer saber? Ainda não está pronto. Então continuamos escrevendo e tocando. Quando percebemos que o disco estava pronto, foi quando anunciamos a data de lançamento pois era importante para fazermos algo certo e não fazer algo só para entrar em turnê novamente. Quando podemos lançar um disco, podemos entrar em turnê. Para nós, precisa ser algo excelente. Eu acho se não for, nossos fãs ouviriam e diriam ‘ok, é legal’ e acabaria ali. Eu acho que esse pode ser o favorito de algumas pessoas, cada música pode ser a favorita de alguns. Isso é sempre algo importante para nós.

Desde “Jet Lag”, vocês escreveram versões em francês para várias músicas que tocam nas rádios e se tornaram grandes sucessos. É complicado escolher qual versão tocar nos shows já que ambas são bem conhecidas pelo público?
Sebastien: Ás vezes, é interessante ver como os fãs que escutaram o disco preferem a versão em inglês. Mas sabe, existem algumas versões, como “Jet Lag”, que foi um grande sucesso aqui no Quebec. Geralmente, nós tocamos em francês, mas ás vezes nós trocamos para inglês próximo do final. Tentamos misturar. Eu acho que é legal pois isso não é estranho para nós. Nós falamos em francês. Eu sei que quando algumas bandas estão em Quebec querem fazer versões em francês e é difícil para eles, mas para nós não, pois somos bilíngues. “Jet Lag” voltou em inglês, e ás vezes “Summer Paradise” também.

Jeff: Eu acho que a versão em francês de “Jet Lag” é um presente para os nossos fãs franceses. Então seguimos o conceito, ‘por que não fazer novamente já que foi muito bem’. Então, se tornou um fenômeno. Cada uma faz a sua parte!

Sebastien: Agora chamamos isso de ‘fazer um Jet Lag’ (risos)

Jeff: Nós somos meio presos nisso. Eu prefiro ler um livro na versão original. Claro, se um livro for em português, vai ser horrível! (Risos). Vai levar muito tempo mas quando é em inglês, eu leio em inglês. Essas músicas são melhores em suas versões originais então eu sempre sou a favor de tocá-las em inglês. Eu acho que aprecio a preocupação dos outros membros da banda em satisfazer os fãs franceses que podem se identificar com as músicas em francês.

Sebastien: Claro, nunca aconteceu de tocarmos em inglês e reclamarem de não terem entendido. Eles cantam em inglês conosco, o que é ótimo.

Nós conversamos com algumas pessoas da França e elas nos falaram que as versões em francês não tocam tanto nas rádios. Então eles conhecem mais as versões em inglês do que as francês.
Jeff: Sim, mas, sabe, os franceses usam palavras em inglês para falar em francês! (Risos)

Sebastien: É impossível pedir uma vodka canneberge como falamos em francês, na França é uma vodka cranberry. Eles se dão bem com inglês!

Jeff: Na verdade, é uma forma legal de agradecermos os nossos fãs. Foi divertido pois a Marie-Mai foi muito legal. Beatrice, Coeur de Pirate também estava envolvida. Então foi um ótimo presente. Foi bem legal. E pelo que ela se tornou, como eu disse, fazer um Jet Lag acabou se tornando um termo. Eu acho que agora meio que perdeu a magia, mas podemos fazer novamente. Eu acho que se é uma boa versão, então tudo bem, mas se não, posso garantir que não vamos manter!

Vocês já estiveram no mundo todo várias vezes, os seus discos sempre foram bem sucedidos. Seus fãs são bem fiéis ao redor do mundo. O que mais o Simple Plan gostaria de conquistar?
Jeff: Eu acho que existem 125 países na Terra. Nós visitamos 60. Existem muitos lugares para ir, muitos lugares para ver. Nós iremos para Bali em breve e nunca estivemos lá. Vai ser um pouco diferente. Nós estivamos mais na Europa Oriental. A Croácia vai se tornar um lugar para shows. Na verdade, eventualmente, algum produtor vai arriscar. Claro que queremos ser os primeiros a fazer isso. Também tem a África. Nós fomos para a África do Sul, mas existem muitos lugares que nunca fomos. Também falta Marte e a Lua!

Sebastien: Continuar. Continuar é muito importante para nós. Eu acho que logo depois desse disco vamos lançar mais um. Só isso vai mostrar o que deixamos para trás. Não somos ma banda que fica só um ano em atividade. Eu quero contar para a minha filha quando ela crescer ‘O papai está em uma banda’ e não ‘O papai estava em uma banda’. Esse é o nosso objetivo mais importante, continuar fazendo música.

tempo-mag-interview-02Nós falamos sobre cidades grandes, mas depois de Bangkok, Singapore e Chicago, depois de muitas tentativas, vocês pararam aqui em Acton Vale. O que uma cidadezinha como essa pode proporcionar profissionalmente e pessoalmente?
Jeff: Eu não acho que algo pessoal. Eu vejo as coisas a partir da filosofia do Simple Plan. Quando começamos a tocar em Quebec, nós tocamos em Chicoutimi. Nós fomos o mais longe que pudemos. Nós nos certificamos de que o auditório fosse adequado para manter um nível. Tocando aqui ou no Japão, nós queremos a mesma coisas. Nós fizemos todas as perguntas que tínhamos que fazer: Nós nos certificamos que o palco era adequado para nos receber, para receber toda a qualidade do mundo que pode nos atrair até aqui. É simples assim. Você já ouviu a expressão “em um cinema perto de você”? Eu sempre quis que o Simple Plan estivesse perto. Nós vamos para o Japão, para a Rússia. Nós fazemos muitos esforços para encontrar os nossos fãs, por que não fazer isso em Quebec? Para os que não podem ir até Montreal pois não tem dinheiro o suficiente ou pois são muito novos para viajar. Para mim, até os 16 anos, meus pais não me deixavam sair de Montreal. Eu imagino que para muitos seja assim. Eu vejo dessa forma: Por que eu posso ir para a Rússia mas não para um lugar próximo de Montreal?

Sebastien: O que você disse é verdade. Essa é uma cidade muito bonita. Nós tocamos em Tóquio, no Japão, mas também em uma cidade pequena como Futoka. Nós também tocamos em cidadezinhas nesses países. Tudo o que queremos é ver pessoas que queiram nos ver!

Jeff: Eventualmente, o festival de Acton Vale será tão grande quanto o Festival des Montgolfières. Só que eles crescem aos poucos. É claro.

Como foi a experiência com o que aconteceu em Rawdon onde o show foi cancelado? Como vocês se sentiram como banda?
Jeff: Honestamente, eu fiquei MUITO brabo com o produtor e eu acho que foi bem irresponsável da parte dele. Eu também fiquei com raiva da pessoa que nos colocou em contato com ele. Basicamente, era algo para os fãs. O lado das negociações é um saco. Acabamos saindo como idiotas por termos que cancelar o show. Eu, aos 16 anos, não iria entender: ‘É a própria banda que está cancelando? O produtor?’ Eu não sabia qual era a diferença. Não teria banda. Isso era tudo que eu iria pensar.

Sebasiten: Eu encontrei um cara recentemente que me disse ‘Parece que seu empresário falhou em te empresariar… Por isso que seu show foi cancelado.’

Jeff: Sim, pois o lugar onde o show deveria acontecer, enviou um comunicado para a imprensa dizendo que o produtor estava sem contato. Essa é a verdade. As pessoas não entendem a diferença entre o produto, a banda, os agentes e os empresários. Isso é ruim para a banda. Nós sempre tomamos cuidado para ver com quem estamos nos associando. Aqui, o cara falava muito bem e acreditamos em seu festival.

Sebastien: Eu acho ótimo que as pessoas tenham mudado de ideia e tenham vindo nos ver em Acton Vale. Isso é louco! Estamos aqui para tocar!

Jeff: É bom que tínhamos esse show logo antes de tocar no Bell Center… Mas algumas pessoas vieram da Alemanha passar duas semanas aqui e o Rawdon que caiu fora. Eles tinham que ir embora pois estavam na semana de férias. É triste. Em 17 anos cancelamos tão poucos shows que podemos contar em uma mão só.

Para concluir, a turnê deve acabar em Maio de 2017. Muitas fontes dizem que vocês entrarão em estúdio logo depois da turnê, outros falam em um disco acústico. Nos falaram também de um vinil. O que realmente vai vir a seguir para o Simple Plan?
Sebastien: O vinil vai vir em algum momento. Vinis são sempre legais! A fábrica já está recebendo os pedidos. Eu acho que será lançado em alguns meses, ou até mesmo em algumas semanas. Claro, ainda queremos estar em turnê durante essa temporada. Eu também acho que nada está confirmado ainda, mas estamos com a mente aberta para fazer alguns festivais no verão do ano que vem. Talvez aqui, talvez na Europa. O que temos certeza é que queremos um disco assim que possível. Essa é a verdade. Vai acontecer, mas queremos fazer a coisa certa, essa é a nossa vontade. Por outro lado, não acredito em um disco acústico.

Jeff: Não é porque falamos sobre algo que irá acontecer. Eu não acho que seria bom lançarmos um disco assim que possível.

Sebastien: Nós realmente não devemos fazer um acústico. Levaria muito tempo.

Jeff: Eu não acho que seja uma boa ideia. Eu acho que pode ser legal explorar essa ideia mas não com esse disco.

E um novo DVD?
Sebastien: O problema é a era digital. Você encontra tudo em seu celular. Agora está tudo em sites, vlogs, Instagram e vídeos editados… Nós encontramos isso na era digital. As coisas mais espontâneas você encontra no Snapchat ou Instagram e as coloca online assim que possível. Então, talvez devêssemos fazer uma compilação de tudo isso mas precisaríamos entrar em um acordo com todo mundo que vimos antes se eles estão de acordo. Por isso que colocamos o show de Melbourne de graça no YouTube já que filmamos tudo. Nós dissemos ‘Vamos fazer um ótimo DVD’ e então, falamos, não, é um show, vamos colocar de graça no YouTube. É claro, a maior parte das coisas que lançamos está lá. Talvez seria interessante produzir os bastidores da produção do próximo disco e lançar como um material bônus, mas um DVD está fora de jogo.

Jeff: Sim, eu acho que é parte do passado.

Sebastien: Agora é tudo em tempo real. O nosso primeiro DVD foi lançado há 10 anos atrás. O DVD era muito louco mas agora, eu acho difícil de assistir pois parecíamos uns idiotas que suavam o tempo todo! É como quando você olha uma foto sua no ginásio, você acha que está parecendo muito louco. Tudo o que vocês precisam ver, vocês já viram.

Jeff: Eu tenho que dizer que, durante todo o tempo você está se alimentando na internet. Então, sim, deve existir uma compilação em algum lugar. Eu nem sei se temos material novo o suficiente para entregar pois tudo acaba na internet. Nós sentimos que temos a obrigação de estarmos sempre presentes. Então não temos nada além disso para mostrar.

Vídeo: Pierre Bouvier e Sebastien Lefebvre mostram o ônibus de turnê do SP

Durante a turnê do Simple Plan pela Europa, Pierre Bouvier e Sebastien Lefebvre gravaram uma matéria para o canal PitCam TV mostrando o ônibus onde a banda viveu durante algumas semanas na estrada.

O ônibus conta com dois andares, uma sala de jantar onde eles jogam dominó e assistem filmes, no frigobar eles estão abastecidos de leite, cerveja, café e champanhe. Na cozinha eles também possuem garrafas de bebidas como vodka, pães e torradeira. Por fim, no primeiro andar é onde está localizado o banheiro.

No segundo andar ficam as roupas sujas, as camas de cada um deles e uma sala de estar com janelas para a vista da estrada. Assista ao vídeo abaixo: