Simple Plan na capa da revista “Rock Sound”

O Simple Plan é uma das matérias de capa da edição de Abril da revista britânica Rock Sound, que chega às bancas no dia 02 de Março, quarta-feira.

A publicação promete dar algumas informações exclusivas sobre o retorno dos caras. Assim que tivermos acesso ao conteúdo da matéria ou aos scans, publicaremos aqui no SPBrazil. Veja abaixo uma prévia da matéria, que conta com uma foto inédita do ensaio fotográfico de divulgação do “Taking One for the Team”:

rocksoundapr2016-02

“Taking One for the Team” estréia no Top 200 da Bélgica

toftt-news

A lista dos discos mais vendidos na Bélgica foi divulgada trazendo a estréia do disco “Taking One for the Team” entre os 200 álbuns mais vendidos da semana.

O quinto álbum de estúdio do Simple Plan estreou no 45º lugar da UltraTop, a lista que divulga o desempenho de músicas e CDs no país.

Confira abaixo uma tabela com os países onde as colocações de estréia do disco já foram publicadas:

 PAÍSES COLOCAÇÃO
México 1º lugar
Austrália 12º lugar
 Japão 21º lugar
Reino Unido 44º lugar
Bélgica 45º lugar
Holanda 59º lugar

Turnê: Simple Plan se apresenta em Toulouse, na França

chuck-drums-04

Na noite passada o Simple Plan realizou mais um show da “Taking One for the Team Tour”. Dessa vez a banda se apresentou em Toulouse, na França.

Novamente, Pierre Bouvier subiu ao palco usando uma nova camiseta do merchandise oficial da banda que está disponível para venda nos shows da Europa. Durante o dia eles também divulgaram uma linha de sungas sendo usadas pela banda britânica The Bottom Line, que lembra as mesmas usadas no ensaio fotográfico do novo álbum do Simple Plan.

A setlist do show sofreu algumas alterações novamente. “Farewell” voltou a ser tocada e, “Take my Hand” entrou no lugar de “Your Love Is A Lie” (créditos ao SPCZ). Confira a lista completa abaixo:

1. Opinion Overload
2. Jet Lag
3. Jump / I Gotta Feeling
4. I’d Do Anything
5. Boom!
6. The Rest of Us
7. Welcome to My Life
8. Take My Hand
9. Kiss Me Like Nobody’s Watching
10. Party Medley (Uptown Funk / Can’t Feel My Face)
11. Can’t Keep My Hands Off You
12. Summer Paradise
13. Farewell
14. Crazy
15. I’m Just a Kid

Encore:
16. Shut Up!
17. Perfect World
18. This Song Saved My Life
19. Perfect

Clique nas miniaturas abaixo para visualizar as primeiras fotos em nossa galeria.

Entrevista: Le Soleil conversa com Pierre sobre novo álbum e mais

pierre-concert

Pierre Bouvier realizou uma entrevista com o Le Soleil na semana passada sobre o novo disco, como eles fazem para se relacionarem com a cultura pop e as chances de se apresentarem no Summer Festival. Leia abaixo:

Os caras do Simple Plan sabem por experiência própria: quanto mais o tempo passa, mais eles precisam trabalhar para se manterem relevante no mundo do pop. Então eles fizeram a lição de casa com “Taking One for the Team”, seu quinto álbum lançado na sexta-feira, com cerca de 80 músicas foram compostas para ter certeza que somente as 14 melhores fossem selecionadas. Mesmo que a data de lançamento fosse alterada para que o quinteto ficasse satisfeito.

Ao telefone, o vocalista Pierre Bouvier não esconde seus ânimos. Com seus cúmplices Chuck Comeau (bateria), David Desrosiers (baixo), Jeff Stinco (guitarra) e Sebastien Lefebvre (guitarra), ele está pronto para reassumir o o trono, cinco anos depois do lançamento de “Get Your Heart On!”

Até então, vários singles foram lançados, com o grupo assumindo diferente facetas: incluindo o território funky com “I Don’t Wanna Go to Bed”, acompanhada de uma versão em francês. Se a banda de pop-punk está acostumada a viver nas paradas, isso não é negligenciado pelos seus álbums, o que graças a sua arte é musical e possui uma identidade visual. Pierre Bouvier explica.

“Taking One For the Team” é um disco onde encontramos rock, funk, reggae, segmentos retrô e, é claro, o puro pop-punk. Vocês estavam buscando essa diversidade?
A música pop-punk, bem energética, com guitarra, baixo, bateria é o tipo de música para ouvir bem alto em seu carro. Se você tem um dia ruim, é o tipo de música que você sempre irá amar e querer ser representado, mas fazem mais de 20 anos que fazemos esse tipo de música, então, inevitavelmente, como um compositor e intérprete, nós queremos outras coisas, sons diferentes. Nós percebemos que nessa idade que temos, nós podemos fazer coisas diferentes. Nós somos músicos competentes, minha voz mudou, nosso estilo mudou, então colocamos esses desafios para surpreender as pessoas e surpreendermos a nós mesmos e criar algo novo. E claro que o disco não tem só uma dimensão e que depois de um tempo ouvindo, você está pronto pro que vem a seguir.

Quando você olha as reações no YouTube, não são todos os fãs que digeriram “I Don’t Wanna Go to Bed”. Isso surpreendeu vocês?
É algo que acontece com a banda desde o começo. Porque, sim, é um pouco diferente da cena da Warped Tour, um pouco alternativo, um pouco punk, um pouco rock, mas desde que começamos, uma música como “I’m Just A Kid” era uma música pop, em sua base. […] Existem músicas nas rádios que não são o mesmo que o Simple Plan criou no começo, então adaptamos a isso. E eu acho divertido ouvir o rádio e ouvir músicas como “Uptown Funk”, a nova música do Justin Bieber ou Adele. É o meu estilo e algo que eu quero fazer parte? Não. Mas eu posso experimentar e me divertir com isso? É claro… A reação que isso causa é bem difícil de se ouvir, pois existem pessoas que costumam dizer coisas horríveis na internet e existem os fãs que amam a banda, e existem os fãs que amam a banda e que, talvez, levem as coisas muito a sério: é só uma música.

O Chuck Comeau já disse ao Le Soleil que ao passo que o grupo progride, os pontos contra do sucesso começam a vir de frene para você. Como você trabalha para reverter esse padrão?
É difícil criar algo excitante com pessoas que você já conhece. Você não consegue mais trazer temas que essa pessoa ainda não conheça. E para nós, a única forma de lutar contra isso, é superar as dificuldades com essas músicas. Elas precisam ser ainda melhores. E é por isso que leva muito mais tempo para compor. Eu gostaria que as gravações tivessem começado em 2014. Pelo timing, seria muito melhor. Mas é importante ter algo que os fãs que nos conhecem vão dizer: “Wow, eu ainda amo essa banda” e os fãs que ainda não nos conhecem dizer “quem são esses caras? Eles são legais, e soa tão novo!”

Me conte sobre o tema esportivo encontrado na capa do disco, assim como no disco onde podemos ouvir o locutor…
Essa foi uma ideia do Chuck. Existem vários conceitos no ensaio fotográfico, o estilo, as marcas. Nós queríamos nos esforçar ao máximo. Existem muitas bandas nesse ponto da carreira e que prefeririam contratar um fotógrafo, ele tira fotos e é isso. Mas o Chuck gosta de trazer conceitos, e eu acho que é isso que torna mais especial para os fãs verem quando compram o disco. É algo que você pode abrir; pode observar que é um tipo de entretenimento; que fará você rir. Não é só uma foto dos caras. Que não é mais algo tão especial com o Instagram, que você pode ter todas as fotos…

Você é pai de duas meninas. Como isso mudou na dinâmica da banda?
Mudou um pouco. Quando eu tive minha primeira filha, minha reação foi mista: eu queria estar lá com ela no nascimento. Eu eu queria ver todos os momentos, então eu pensei, “Você não pode mais fazer shows, esqueça isso.” E por outro lado, eu pensei “Ao contrário. Você precisa ter ainda mais sucesso. Eu trabalho mais para mostrar para ela o que é trabalhar e sobreviver, pois eu preciso tomar conta dela.” Então é bem inspirador, um motivo a mais para trabalhar duro, puro outro lado, isso me lembra que precisamos tirar folgas, para não fazermos shows por cinco, seis, sete semanas…

Desde o começo vocês mantiveram a mesma equipe sem mudanças. Qual é o segredo dessa longitude?
Eu acho que a comunicação. Estamos em uma banda e queremos que ela continue. Essa é a nossa paixão, nós temos uma visão, gostamos das mesmas coisas, mas também temos a união, a grande visão de que se um dia eu não quero te ver, não quer dizer que precisamos nos separar […] Se existem problemas na banda, nós sentamos, fazemos reuniões. E eu posso dizer que ficamos mais próximos nos últimos quatro ou cinco anos por fazermos todas essas sessões de terapia. Qualquer que seja o problema, nós conversamos e percebemos que vale a pena fazer isso. Hoje eu acho que estamos mais próximos do que nunca.

O cara que canta a música do Scooby-Doo

O Simple Plan sempre amou fazer referências a cultura pop. E ainda mais quando se trata sobre séries de TV. Para o clipe de “I Don’t Wanna Go to Bed”, os músicos se encontraram em um universo do Baywatch, mas não sem uma dose de humor. Até o David Hasselhoff fez uma participação. No passado, a banda também se infiltrou no mundo do Scooby-Doo, não uma, mas duas vezes, cantando a música para o segundo filme com atores devotados ao tema de investigação, mas também cantando a música tema da série What’s New Scooby-Doo? – Eles também fizeram parte de um episódio.

“Nós precisamos encontrar formas de alcançar o público e quando você olha hoje em dia, existem muitas músicas, várias coisas que fazem as pessoas irem pra lá e pra cá, que precisamos encontrar algo que cause brilho, curiosidade.” disse Pierre Bouvier.

“É engraçado pois é o tipo de coisa que nos permite alcançar pessoas que não conseguiríamos ou não ouviria nossas músicas de outra forma. Agora eu moro nos EUA, e meus vizinhos são crianças de 9 ou 10 anos. Para eles, eles me conhecem como o cara que canta a música do Scooby-Doo. Então é dessa forma com coisas como essas que são divertidas para nós fazermos que conseguimos alcançar pessoas e ser um pouco mais especial! Não só uma banda que faz músicas.”

De volta ao Summer Festival?

O Simple Plan tem um hábito de shows ao ar livre em Quebec. A banda já se apresentou diversas vezes no Festivent e realizou um show lotado na cidade de Quebec no Summer Festival no dia 11 de Julho de 2011. Agora que os músicos lançaram um novo disco, eles nos verão novamente? Pierre Bouvier responde… “É claro que o Summer Festival tem sido uma de nossas melhores experiências. Nós tocamos, não me lembro em qual ano, para 150.000 pessoas e esse foi o maior show de nossas vidas. E a platéia em Quebec… Eu acho que tem uma ótima relação com o Summer Festival. Eu acho que iremos voltar. Mas se será nesse ou no próximo verão eu não sei. Mas é claro que é algo que queremos repetir.”

Entrevista: Chuck Comeau com a revista XXIV

chuck-drums-04Em uma entrevista para a revista australiana XXIV, Chuck Comeau contou curiosidades por trás das gravações do clipe de “I Don’t Wanna Go to Bed” e a vontade de voltar a tocar na Austrália com a nova turnê. Confira:

Desde o lançamento do “No Pads, No Helmets… Just Balls” em 2002, contendo uns de nossos singles favoritos como I’m Just A Kid, I’d Do Anything, Addicted e, é claro, Perfect. Ainda assim, o Simple Plan ainda não parou!

Se você não se lembra, iremos refrescar a sua memória. Em Dezembro de 2011, a Austrália foi o primeiro país no mundo inteiro a lançar “Summer Paradise” do “Get Your Heart On!”, como single, e o clipe foi filmado inteiramente na Austrália. Então, para comemorar o lançamento do tão aguardado “Taking One for the Team”, Chuck Comeau nos contou sobre a produção do novo disco e o que a banda deverá fazer pelos próximos cinco anos…

“Nós lançamos o nosso disco anterior e queríamos sair em turnê logo em seguida! Nós fizemos shows por exatamente 2 anos e meio ao redor do mundo, tocamos em 60 países, fomos 3 vezes para a Austrália e fizemos 2 turnês próprias. Tiramos um tempinho de férias e depois de 6 meses ou um ano, nós estaríamos prontos para voltar ao estúdio e voltar em turnê, mas esse disco foi mais demorado do que o esperado. Nós nos esforçamos. Nos escrevemos cerca de 80 músicas. Isso veio do desejo de fazer algo realmente especial, de ser considerado o nosso melhor álbum até então.”

Depois de todos esses anos os caras provaram que o punk não está morto! E não só isso, eles definitivamente provaram que podem tocar qualquer tipo de música, especialmente nesse disco.

“Não é errado aceitar quem você é e permanecer firme no seu estilo e no que te construímos. Muitas músicas desse disco tem uma energia louca, muito divertida, up-tempo, pegajosa cheias de guitarras e batidas. Existe muito do som do Simple Plan dos dois primeiros discos mas também existem coisas que nunca tentamos antes. Colocamos uma música chamada “I Dream About You”, que é um estilo meio sombrio e diferente. O que definimos para nós é que não nos perderíamos e que é importante voltar às raízes. ‘Opinion Overload’ vai ser muito louca – a platéia vai reagir muito bem e eles irão a loucura com ela – vai ser muito legal – estou ansioso!”

Tentando entender onde o Simple Plan deveria estar em 2016, Comeau diz que mesmo que tenha sido um disco demorado de se fazer, ele está feliz que tenha saído algo do qual ele sente orgulho.

“Eu não mudaria nada nele. Eu acho que levar todo esse tempo dever ser o motivo de termos gravado um álbum tão coeso.”

O primeiro single do “Taking One for the Team”, “I Don’t Wanna Go to Bed” com o Nelly deve ser uma das faixas pop mais contagiantes; Comeau explica que essa é a música mais diferente do que o que eles estão acostumados a fazer.

“Achamos que seria meio entediante colocar 12 ou 14 faixas que parecessem todas iguais.”

Ele também explicou como foi a experiência em trabalhar com o Nelly…

“Foi incrível! Nós crescemos sendo fãs dele e nós fomos lançados na mesma época, então foi bem legal trabalhar com ele. Ele é um rapper mara o estilo do rap dele é como se ele estivesse cantando, então deu muito certo com a nossa música e com o estilo da melodia. Foi bem legal estar em estúdio com ele, ver o processo dele e como ele enxerga uma música, e como ele pensa, e como ele trabalha. Foi bem legal estar lá e fazer parte disso. E com o vídeo, o que acontece é que o Nelly não é a pessoa mais pontual. Foi um vídeo gravado dependendo da luz do dia e ele chegou literalmente vinte minutos antes do pôr do sol e nós já estávamos ficando loucos. Mas ele veio e ficou tipo ‘vamos lá!’ e ele mandou bem!”

Não só o Nelly esteve no vídeo, como também o famoso Hoff…

“Ele nos convidou até a sua casa e nos mostrou como ela é e é muito louco – você anda e ela é cheia de pôsters dele e roupas do Rayder e do Baywatch e coisas do tipo. Foi incrível! Ele realmente é aquele personagem e é um cara muito, muito legal! Nós ligamos para o empresário dele e dissemos, ‘hey, nós temos essa ideia, acha que ele toparia?’ e ele amou e tem um ótimo senso de humor e esse é um dos motivos de ele estar por aí ainda hoje fazendo todas essas coisas – ele sabe como rir de si mesmo e gosta de se divertir – eu acho que o clipe ficou ótimo e ele está bem engraçado nele.”

Estreando a Taking One for the Team World Tour no Canadá, indo para o Reino Unido, França, Alemanha, República Tcheca, a banda também se apresentará no Japão. Sem nenhuma data anunciada para a Austrália, Comeau deu aos fãs um pouco de esperança.

“Claro que estaremos ocupados; nós faremos shows o ano inteiro. Eu mal posso esperar para começar a tocar as novas músicas para os fãs. A Austrália é um dos nossos países favoritos de nos apresentarmos e, eu sei que parece que estou falando por falar, mas não. Nós amamos tocar aí. Com certeza voltaremos! Não temos uma data oficial mas estamos falando com o nosso promotor daí, então com certeza iremos voltar!”

17 anos de pura música, o Simple Plan continua tomando o mundo como um trovão. O amor deles pelos fãs e o amor que os fãs tem por eles inspirou a banda.

“Não existe nada melhor para uma banda quando você trabalha duro em algo e finalmente começa a lançar para as pessoas ouvirem e elas reagem de maneira positiva!”

Turnê: Fotos e Vídeo do Simple Plan em Barcelona

seb-concert

Ontem o Simple Plan realizou o último show da passagem pela banda na Espanha, tocando em Barcelona no Sant Jordi Club, onde Pierre resolveu subir ao palco usando uma das camisetas vendidas no stand de merchandise oficial da turnê.

Dessa vez a banda removeu “Farewell” e tocou “Nostalgic” em seu lugar. O cover de “Can’t Feel My Face” também foi adicionado à apresentação. Confira o setlist completo abaixo:

1. Opinion Overload
2. Jet Lag
3. Jump / I Gotta Feeling
4. I’d Do Anything
5. Boom!
6. The Rest of Us
7. Welcome to My Life
8. Your Love Is a Lie
9. Kiss Me Like Nobody’s Watching
10. Party Medley (Uptown Funk / Can’t Feel My Face)
11. Can’t Keep My Hands Off You
12. Summer Paradise
13. Nostalgic
14. Crazy
15. I’m Just a Kid

Encore:
16. Shut Up!
17. Perfect World
18. This Song Saved My Life
19. Perfect

Após o show, o baterista Chuck Comeau e o guitarrista Jeff Stinco comentaram no Twitter:

“Show incrível em Barcelona! Obrigado! Muchas Gracias!” – Chuck Comeau

“Obrigado Barcelona, foi muito divertido!” – Jeff Stinco

Assista abaixo a um vídeo com filmagem profissional de “Jet Lag” e clique nas miniaturas para acessar o álbum em nossa Galeria.

Entrevista: Pierre, Chuck, Jeff e Seb conversam com o Televisionnet Music

Em mais uma entrevista realizada recentemente, Pierre, Chuck, Jeff e Seb conversaram sobre o disco “Taking One for the Team” com o site Televisionnet Music. Confira o vídeo abaixo e um resumo sobre o que eles comentaram:

» Pierre e Chuck dizem que, para eles é muito importante mostrar os altos e baixos da vida nas músicas, e é por isso que os álbuns deles são tão diversificados.

» “I Don’t Wanna Go to Bed” é um single diferente, e o clipe, com o tema de Baywatch, mostra um lado mais divertido deles, onde eles não se levam tão a sério.

» O vocalista diz que é muito importante ter músicas no disco que façam com que os fãs pulem e se divirtam nos shows, como “Boom”, que fala sobre quando você está em uma relação por muito tempo mas ainda sente o mesmo que sentia no início do relacionamento.

» Eles comentam que “I Don’t Wanna be Sad” é uma música importante devido ao histórico de músicas com letras tristes que a banda já lançou ao longo da carreira. Ela diz que, mesmo com todos os problemas, você se recusa a se sentir mal por isso e decide ter dias bons.

» Jeff diz que o álbum é bem diversificado mas que ainda é o Simple Plan , com músicas mais profundas, músicas divertidas e algumas mais diferentes como aconteceu em “Summer Paradise” no álbum anterior.

“TOFTT” estréia nas paradas do Japão, Holanda e Austrália

toftt-review

Três novos países divulgaram hoje suas listas de álbuns mais vendidos da última semana.

Na Austrália, o disco “Taking One for the Team” alcançou a 12ª colocação do ARIA Charts, que contabiliza os álbuns mais vendidos no país. No Japão, o lançamento do Simple Plan ficou no 21º lugar, na frente de discos recém-lançados como da cantora Rihanna e de Adele. Já na Holanda, o quinto disco de estúdio dos caras alcançou a 59ª colocação.

Vale lembrar que no México os caras ficaram em 1º lugar e, no Reino Unido, 44º lugar.